COMO COMBATER A TRISTEZA E SINTOMAS DE DEPRESSÃO

É preciso compreender como funciona o nosso cérebro. Estou falando aqui da parte neuroquímica (física). Vou colocar em uma linguagem simples, mas que seja possível para você, que talvez nunca tenha tido contato com a área compreender.


Todos os seus pensamentos e estímulos recebidos (conscientes e inconscientes) produzem sinapses nervosas (os neurônios – célula cerebral - se comunicando entre si). Essa comunicação é feita através do que chamamos de neurotransmissores. Cada neurotransmissor é responsável por regular alguma parte emocional, por exemplo: uma pessoa diagnosticada com depressão possui baixo nível de serotonina (neurotransmissor).

Já que está claro que toda fração de segundo vivenciada, pensada e sentida altera essa neuroquímica cerebral, se faz fundamental ter um cuidado enorme sobre as coisas que se pensa, sente e faz. É preciso lembrar que você é um ser consciente, portanto, é livre para fazer escolhas constantemente e viver como bem entende. 

Uma dica fundamental para combater a tristeza é ajudar o outro sem questionar ou reclamar. Vou ser mais claro. Ajudar o outro não é se sacrificar por um namorado ou uma namorada que te trata mal na esperança desse não te deixar ou te ‘amar’ mais, o nome disso é apego, e vai causar sofrimento. Plantou, colheu. Lei da vida. Ajudar o outro significa estudar, trabalhar e produzir o máximo que puder independente da sua aptidão ou área de atuação. Quando você produz, mantem toda a parte neuroquímica em alta atividade (saudável). Você está fazendo algo bom, produtivo, se sentindo capaz, aumentando sua autoestima, criando um senso de responsabilidade e participação social maior, desenvolvendo suas habilidades, alterando de forma positiva sua qualidade de vida e daqueles que ama.

Ajudar aqueles que precisam, seja com a sua profissão, seu conhecimento empírico ou sua solidariedade, independente de padrão social, é uma receita perfeita para estimular a alegria na sua vida.

Julio Furlaneto

Nenhum comentário:

Postar um comentário