LUTO: TÉRMINO DE RELACIONAMENTO

Muito se fala sobre as fases do luto, que tudo vai passar, não há nada fixo no mundo por tempo indeterminado e isso é verdade. Porém, é uma verdade que dói. Saber o processo não diminui a dor, mas dá informações para que você passe por esse momento de forma mais agradável, inteligente, produtiva e benevolente. 


Romper uma relação causa um dilema extremo para a mente. O ego da pessoa que ainda ama sente a necessidade de ter o parceiro ou a parceira independente de qualquer consequência. A intuição, a percepção saudável do próprio corpo, percebe mesmo que inconsciente que se faz necessário o rompimento. 

Há uma regra bem simples em qualquer contexto da vida. Onde não há evolução terá sofrimento. Tudo que fica por um determinado tempo na mesma, sem desenvolver, irá gerar problemas. As relações não são um campo paralelo da vida. Estão inclusas nessa regra. Quando deixam de agregar valor à ambas as partes, parando de proporcionar desafios construtivos e crescimento mútuo, causarão sofrimento.

Sem aceitar a realidade, poderá gerar uma dificuldade acima do necessário para transcender o luto de uma relação íntima. Não aceitar um fato é apego. Apego é o oposto de amor. É preciso ter clareza sobre o que realmente está passando para poder se desenvolver e viver uma vida alegre e próspera em todos os sentidos.

Julio Furlaneto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba as novidades por email