Cumplicidade no Relacionamento

Na nossa jornada, a Cumplicidade é o 8º Pilar para Construir um Relacionamento Saudável.

Você precisa estar alerta a um ponto fundamental desse conceito. O lado comumente usado é o negativo. A cumplicidade é vista com uma conotação negativa de ser cúmplice sobre contextos ilegais, ou coisas negativas que as pessoas fazem. Nesse conteúdo, te trago uma perspectiva realista, sem conto de fadas, descritiva, positiva e possível de ser aplicada para melhorar a sua qualidade de vida bem como do seu relacionamento.

Então, afinal, o que é Cumplicidade?

Separei três definições extremamente simples para facilitar o entendimento prático desse conceito:

1º) PARTICIPAÇÃO SECUNDÁRIA EM ALGO: é permitir no seu relacionamento que o outro fique em primeiro plano para com questões fundamentais da vida dele. Saber interpretar um papel de fundo, porém, que favoreça e contribua para que essa pessoa continue seguindo adiante.

2º) HARMONIA: o conceito prático de harmonia tem a ver com se fazer presente com ausência de conflitos, paz e concórdia. Nesse sentido, você cria uma ligação de pertinência em relação ao que precisa ser resolvido ao bem do próximo no seu relacionamento.

3º) ENTENDIMENTO: o entendimento tem relação com o ajuste entre as partes. Entender o seu papel no momento vivido para poder contribuir com alegria, produtividade e benevolência. É como um consenso, um pacto ou acordo.

Para ficar ainda mais simples o entendimento do que realmente é a Cumplicidade na prática do seu Relacionamento visualize dois sinônimos:

A Cumplicidade é sinônimo de APOIO.

A Cumplicidade é sinônimo de AJUDAR.

Existem os 3 C’s da INTIMIDADE AMOROSA:

CONFIANÇA (6º Pilar para Construir um Relacionamento Saudável).

CUMPLICIDADE (8º Pilar para Construir um Relacionamento Saudável).

COMUNICAÇÃO (9º Pilar para Construir um Relacionamento Saudável).

Quando é dito que existem esses 3 C’s, significa que esses conceitos sendo aplicados na sua vida, dentro do seu relacionamento, irão favorecer ao bom convívio e crescimento mútuo sobre as partes envolvidas.

No campo do relacionamento você precisa visualizar a cumplicidade como aceitar o outro tal como ele é. Significa ficar ao lado do parceiro a partir do entendimento das suas dificuldades e fraquezas. Assim, você se torna um agente de transformação para que possam evoluir juntos, e não um ‘juiz’ tacando pedra naquilo que não concorda e gerando conflitos.

É óbvio que por aqui, como me refiro a construção de relacionamento saudável, não há espaço para maquiar ou gourmetizar má índole e falta de caráter. Estou falando em ser cúmplice de uma pessoa que mesmo buscando ser um bom ser humano, tem um história, suas dificuldades e limitações, e não alguém aleatório que quer satisfazer o próprio ego praticando o mal.

Se você permite se envolver com alguém assim, é suicídio. Não há que ser feito. Só para que fique bem claro a dinâmica do conteúdo que estamos abordando aqui.

Entendendo que esse processo de apoio e parceria advindo da cumplicidade irá te ajudar a ter um relacionamento saudável, separei quatro passos para que você visualize possibilidades práticas no seu dia a dia de trabalhar essa construção:

1º) CONVERSE COM CARINHO: Eu sei. Parece uma coisa bonitinha, óbvia e meiga, mas não. Como sempre descrevo em meus conteúdos, aqui é a realidade, não o conto de fadas. Aqui é a possibilidade de construir resultado, não a fantasia. Então, entenda como carinho o seguinte:

  • TRATAR A OUTRA PESSOA COM RESPEITO: simples assim. Respeito (1º Pilar para Construir um Relacionamento Saudável) é a capacidade de ter consideração pelo outro, independente do que você pensa, acha, julga ou conceitua sobre.
  • SEM COBRANÇA: agir sem cobrar do outro a expectativa do resultado almejado por você. Eu sei que você sendo uma pessoa boa, quer que o outro fique bem porque te dói vê-lo sofrer ou se desgastar. Mas respeitando o processo dessa pessoa e agindo sem cobrar você irá favorecer muito mais, acredite, MUITO MAIS, para que ela realmente consiga ter resultados melhores.
  • FALE EM 1ª PESSOA: Sabe aquele momento que você fica desconfortável com algo que aconteceu no seu relacionamento? Aquele momento que você acredita que o outro te agrediu ou não foi justo, e a raiva domina as suas emoções? Pois é. É exatamente nesse momento que você precisa pensar em 1ª pessoa, ou seja, conseguir refletir quais possibilidades, através de si próprio, você irá influenciar o relacionamento de forma positiva. 

2º) LIDE COM OS SENTIMENTOS NEGATIVOS: em um relacionamento, quando os sentimentos negativos emergem, parece que você perde o controle da situação.  A vontade inicial é vomitar toda frustração, dor e angústia para fora, e isso normalmente envolve ‘vomitar’ na outra pessoa. Nesse passo existem dois pontos primordiais para que você tenha sucesso:

  • EVITAR DIALOGAR NO CAOS: o maior desperdício que existe dentro de um desequilíbrio no relacionamento é tentar resolver questões extremamente amplas e profundas estando em desequilíbrio. Aprenda a se posicionar de forma a não reagir quando está vivendo um caos interno. Se for necessário, descreva claramente para a pessoa que está fazendo isso, se reservando, justamente por entender que naquele momento você não tem uma resposta com um ajuste criativo funcional para o contexto.
  • ENCONTRAR SAÍDAS: quando a mente acalma é comum gastar muito tempo avaliando se concorda ou não com o que aconteceu, se aceita ou não o que aconteceu, e nesse caminho você perde o principal foco, que é encontrar a saída para o conflito que vocês construíram no relacionamento. Você precisa escolher conscientemente, de forma voluntária, pensar sobre criar essa saída. Vai ter que deixar o ego de lado.

3º) AVALIE SI PRÓPRIO: esse passo se resume em uma pergunta. Vou te falar de forma literal, e não metafórica. Vá ao banheiro, olhe-se no espelho e se pergunte: “Como posso contribuir de uma maneira melhor?”. Olhe no fundo dos seus olhos ao enfrentar esse passo. 

4º) DEMONSTRE CARINHO NOS PEQUENOS GESTOS: lendo esse passo talvez pareça ser o mais óbvio e sem sentido. Óbvio, eu até entendo que seja, mas sem sentido? O contrário disso. É o passo com maior sentido. Imagine o seguinte: no seu dia, aqui-e-agora, terminando de ler esse artigo, quantas possibilidades em todas as ‘pequenas coisas’ da sua vida dentro do seu relacionamento são ricas em possibilidades para que você demonstre seu amor?

Pois é. Infinitas. O tempo todo. Todos os dias. É só uma questão de escolha. E diferente do que você já deve ter visto gente falar, “falar é fácil”, fazer também é. Só que fácil nem sempre é sinônimo de ausência de trabalho.

Muita coisa boa nessa vida envolve um processo de desenvolvimento e construção. Naturalmente, pode não ter o melhor resultado do dia para noite, mas sim melhorar dia após dia.

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0

Deixo um convite especial para que você participe da Comunidade Furlaneto. Lá te ajudo a Construir um Relacionamento Saudável através do Desenvolvimento Pessoal com o meu suporte particular sobre os temas. A Jornada completa dos 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável está disponível para os membros, bem como várias outras aulas e conteúdos que estão sendo alimentados semanalmente. Tem uma aula específica falando apenas do 8º PILAR – CUMPLICIDADE.