Comunicação no Relacionamento

A comunicação é um pilar básico e fundamental para se estabelecer relações sociais funcionais.

Quando essas relações são levadas ao nível íntimo, com mais profundidade, a necessidade de ter boa comunicação é ainda mais importante.

Mas isso você já sabia. O que talvez você não saiba é, porque sendo tão importante, a comunicação não recebe (na prática) a real atenção para ser bem utilizada no campo dos relacionamentos íntimos?

Primeiro, é necessário que o conceito de comunicação se faça extremamente claro para que possamos prosseguir nesse conteúdo:

Eu trouxe três definições extremamente simples sobre comunicação:

1ª) Processo complexo de troca de informações;

2ª) Compartilhar ou tornar comum;

3ª) Emissão e recebimento de informações.

Repare que fica bem claro que a comunicação se trata sobre a informação e não apenas o falar. Estarei fazendo a diferenciação desses dois conceitos logo adiante.

Antes, você precisa entender que a comunicação é dividida em dois tipos:

1º) Comunicação Verbal: realizada através da fala. Na forma passiva (receptor) da prática do seu dia a dia é quando você ouve alguém falando ou lê uma mensagem escrita na tela do seu celular. Na forma ativa (emissor) funciona quando você é o responsável por emitir a fala ou a mensagem escrita.

A forma oral requer alguns cuidados especiais na hora de se comunicar, principalmente para você que quer se fazer claro ao receber e emitir as informações para fazer bom uso dessas e construir a melhor qualidade de vida possível dentro de um contexto de realizações no seu relacionamento:

  • Desenvolva a habilidade de não ter medo na hora de falar.
  • Planeje uma autoimagem tranquila, segura e confiante para que a mensagem possa ser recebida com o conforto dessa figura acolhedora e transmitida da mesma forma.

2º) Comunicação Não-verbal: essa comunicação é feita através de gestos e posturas.

  • Gestos são os movimentos que o corpo faz, especialmente os braços, mãos e cabeça. Alguns desses movimentos se dão de forma voluntária e outros involuntárias, mas todos fazem parte da sua comunicação como um todo. Os gestos revelam muito sobre o seu estado psicológico.
  • Postura envolve a sua apresentação física em um formato mais amplo, especialmente referente a coluna, ombros e ângulo da cabeça. 

Segundo TUCKER (1960), a postura corporal é uma atitude mental sobre o corpo, promovendo assim o equilíbrio. Ela pode ser definida como hábito de posição do corpo, no espaço, após uma atividade ou descanso.

Dentro da comunicação não-verbal também é preciso dar atenção aos atos físicos. Esses atos são aqueles que promovem alguma transformação substancial. Na prática do dia a dia no seu relacionamento você pode visualizar atos físicos como por exemplo: fazer o jantar, tirar o lixo de casa ou qualquer atitude que mostre importância ou cuidado para com a pessoa que você ama.

E aqui começa todo o problema. A comunicação não é levada a sério! Boa parte das pessoas acredita ter boa comunicação simplesmente por falar, ou vomitar através de gestos desorganizados e uma postura desequilibrada sobre aquilo que está pensando e sentindo.

Essa confusão e falta de dedicação se dá inicialmente por não compreender a diferença entre FALAR e COMUNICAR.

Pense em falar como simplesmente verbalizar palavras. Sai de forma automática sem nenhuma elaboração. Você só joga em formato verbal de qualquer jeito o que está dentro de você. 

Agora visualize comunicar como a busca por expressar e entender significados através da linguagem verbal, não-verbal e atos físicos.

Entende a diferença? Falar foca só em jogar no outro o que está dentro de si de forma desorganizada. Comunicar foca em fazer todo o possível para que as informações que representam o que você sente, pensa e faz cheguem ao outro de forma clara, bem como, lembrando que comunicação se trata de emitir e receber, o seu posicionamento para compreender é trabalhado com a mesma relevância.

Por mais estranho que pareça o que eu vou te dizer agora, é muito mais comum pessoas que falam do que pessoas que realmente se comunicam, e isso não se dá diferentemente nos relacionamentos íntimos.

Importante destacar que a boa habilidade de se comunicar não vai privar o seu relacionamento de ter conflitos. Não entre em uma bolha de fantasias e contos de fadas, porque você irá se frustrar e acabar fazendo o mesmo com a pessoa que você ama. A boa comunicação vai ser um pilar, agente facilitador na construção de equilíbrio na sua relação, através dos bons momentos vividos e também advinda do aprendizado do contato com os momentos mais difíceis.

Agora você pode perceber porque coloquei a comunicação como o último dos 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável, pois ela interfere em todos os outros, potencializando de forma positiva para aqueles relacionamentos que desenvolvem boa comunicação, e negativa para os demais que não se dedicam a evoluir nesse sentido.

1º Pilar – Respeito: você consegue perceber como seria mais fácil e ampla a capacidade de respeitar o outro se fazendo mais claro e entendendo a outra parte profundamente através da comunicação?

2º Pilar – Sexo: você visualiza as possibilidades de se satisfazer e conseguir satisfazer a pessoa que você ama sabendo melhor o que agrada, não agrada, desenvolvendo e ‘pesquisando’ juntos através de uma boa comunicação?

3º Pilar – Humildade: não é mais fácil ser humilde consigo próprio e em relação ao outro tendo informações mais significativas e detalhadas das motivações de cada um?

4º Pilar – Amor: Aprofundar no cuidado e interesse íntimo, na incondicionalidade em ver o outro bem, também é um pilar beneficiado através da boa comunicação.

5º Pilar – Amizade: o grande pilar da amizade deixa evidente o seu interesse em ajudar e servir a outra pessoa no relacionamento, simplesmente porque quer apoiá-la para vê-la bem. Naturalmente, ter clareza das necessidades do outro com boa habilidade no sentido receptivo da comunicação, não te daria melhores detalhes sobre como ser um bom amigo?

6º Pilar – Confiança: é ou não é mais fácil quando você realmente sabe como o outro pensa, sente e as razões que o levam a se expressar da maneira como faz?

7º Pilar – Empatia:  a capacidade de se conectar com o que o outro sente. Sentir como a pessoa que você ama sente e percebe a realidade. Entende as possibilidades de se tornar mais empático através da emissão e recebimento de informações claras e assertivas advindas da boa comunicação?

8º Pilar – Cumplicidade: aprender a ouvir e interpretar com clareza o que o outro expressa também torna mais fácil o papel de se colocar como cúmplice, ou seja, assumir o papel secundário para dar suporte em alguns momentos no relacionamento.

Lembrando que todas as aulas sobre os 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável estão disponíveis para membros na Comunidade Furlaneto. Para você se inscrever, clique aqui.

Fechando esse conteúdo de maneira didática, separei quatro dicas que vão melhorar a sua capacidade de se comunicar:

1ª) ESCUTE: resista ao impulso de interromper quando o outro estiver falando. Você já deve ter observado ou se pego ansioso para chegar a sua vez de falar, ou até atropelar o outro em meio a sua fala, pela sua própria ansiedade ou desequilíbrio emocional. Quando você faz isso, interrompe a possibilidade do outro emitir a informação, e o seu foco não está atento ao comunicado. Torna-se um desperdício total aquilo que está sendo abordado.

2ª) PENSE: pensar antes de falar. Aprendendo a escutar é preciso que você pense sobre aquilo que foi recebido na comunicação. Evite dar respostas automáticas dos mesmos padrões de sempre. Mantenha um tempo de resposta para que possa refletir, mesmo que brevemente dependendo do contexto.

3ª) SEJA SINCERO: para elaborar algo advindo da reflexão anterior é necessário que você seja sincero. O que você realmente sente sobre o que recebeu? Como você se percebe para emitir a resposta da informação?

4º) RESPEITE E COBRE RESPEITO: você deve respeitar a pessoa que você ama no seu relacionamento. Porém, cobre o mesmo respeito. Não por exigir e querer que o outro seja submisso a você, mas relacionamento é um investimento de vida, um ativo em longo prazo. Quando você se dá conta de coisas boas que pode fazer pela sua relação e se permite levá-las para o dia a dia, chame a responsabilidade do outro no mesmo sentido de forma positiva e benevolente.

 

Encerro aqui a Jornada dos 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável. Vou deixar o link de acesso logo abaixo para que você veja todas as informações e tire suas dúvidas e se inscreva na Comunidade Furlaneto.

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0

Construindo Relacionamentos Saudáveis através do Desenvolvimento Pessoal.