24 - ELE CURTE FOTOS DE OUTRAS

As redes sociais têm sido objeto de muita discussão nos relacionamentos.

Para começar, quero que fique claro que a referência serve tanto para homem quanto para mulher, ou seja, aquelas que também curtem fotos de outros caras. Pessoas são pessoas. Ok? A questão começa com um ponto bem simples de entender: más ações estão sendo romantizadas, ou no mínimo colocadas como normais. 

Não é de agora, mas posso te dar uns dois exemplos bem simples:

Você já deve ter visto em roda de homens, alguns se vangloriando, e os outros batendo palmas, pela habilidade do cara mentir e conseguir enganar a mulher que o ama, fazendo coisas (como conversar e trair) pelas costas sem que essa saiba. Sem censura. Seja franco.

Ganha tapinhas nas costas, colocando seu Ego lá em cima, como se fosse um homem mais forte e poderoso por conseguir tirar vantagem usando de forma negligente e maldosa seu próprio valor sexual de mercado.

Também, você já deve ter visto em rodas de mulheres, aquela discussão sem sentido, onde algumas delas brigam, mentem e até manipulam para poder ficar com o cara “A” ou “B”. Se vangloriam quando fazem isso, e ainda escutam de algumas ‘amigas’: “Nossa migs! Não acredito que você conseguiu ficar com aquele DEUSO!”. Antes de mais nada, parabéns hein!

Pois é, mas tem um problema nisso. Na verdade, problema algum, considerando que você saiba o que está fazendo e aceite as consequência do que está fazendo. Agora, se torna um gigante problema ter esse padrão de atitude e ficar sonhando com um relacionamento saudável, bom, que gere alegria, crescimento, prosperidade e construa uma família em cima de pilares de valor. Aí fica difícil. E aqui, todos os conteúdos que produzo são referidos às possibilidades para aqueles que querem construir um relacionamento de valor.

São simples exemplos, mas só para mostrar uma parcela de realidade, que faz com que seja considerado normal algumas pessoas estarem em um relacionamento sério e gastar boa parte de seu tempo curtindo abdômen trincado e bunda de pessoas aleatórias ou conhecidas, que se tem desejo sexual (óbvio). Parece pesado a maneira como te coloco aqui, mas um dos problemas é passar pano morno na realidade dos fenômenos.

Me baseio pela própria demanda de atendimentos que recebo e realizo como psicólogo clínico. O volume de relacionamentos prejudicados pelo uso maldoso e negligente de uma ou ambas as partes das redes sociais é absurdo.

E o pior é que muitas das pessoas que fazem esse uso sacana das redes sociais, flertando no nível ‘soft’ com as ‘curtidas’, ‘palminhas’ e ‘frases clichês’ se sentem ofendidas quando são questionadas em relação a isso.

Semana passada atendi um homem, adulto, trinta e cinco anos, que me relatou exatamente isso. A sua namorada de muitos anos (morando juntos) estava curtindo fotos de uns caras aleatórios que ela acha bonitos. Quando ele foi conversar e questionar isso, ela se colocou em posição defensiva e agressiva:

“Você está cuidando de quem eu curto ou deixo de curtir na internet? Que absurdo!”

“Você não respeita a minha privacidade!”

“Cada um de nós tem que ter a sua liberdade. Não estou fazendo nada de errado. Normal curtir. É só uma curtida. Todo mundo faz isso!”

É. Isso não é uma historinha que eu inventei para te comover ou me fazer apelativo e ganhar a sua atenção. Na verdade é um relato fidedigno do que recebi como informação em um dos vários atendimentos que realizo. 

Da mesma forma que poucos dias atrás, atendi uma mulher, casada, mãe de dois filhos em uma união de mais de dez anos, que estava insegura pelo esposo não deixar ela chegar nem perto do seu celular. Não sabe a senha, nem nada.

O esposo dizia a mesma ladainha do caso que descrevi anteriormente, que ele precisava da sua privacidade e não achava certo um ver nada do outro no celular. E adivinha?

Um belo dia o maridão foi tomar banho, o celular ficou carregando, e mesmo bloqueado, o maravilhoso iphone em sua tela inicial notificou uma mensagem vinda do whatsapp de uma mulher (estranha para a esposa) dizendo que havia adorado a noite de ontem.

Honestamente, não sei em que momento distorceram o significado de liberdade. A liberdade em sentido literal da palavra tem a ver com o direito que a pessoa tem de fazer escolhas por ser livre. Perfeito. Porém, em um relacionamento sério, quando as suas escolhas agridem a integridade da pessoa que você diz amar, isso se torna uma falta de respeito, abuso e distorção de qualquer senso ético e moral possível entre relações sociais. 

É realmente fácil argumentar bonitinho para continuar escondendo a sacanagem que é feita. Essa é a mais pura verdade, e todo o bem possível a ser construído em um relacionamento realmente saudável precisa partir da verdade. A verdade sobre o que cada um dos dois realmente pensa e quer através desse relacionamento. 

Tudo o que você coloca foco consciente nessa vida, cresce, se alimenta dessa sua energia. Como é possível você dedicar foco para uma pessoa estranha com valor sexual embutido, ao invés de direcionar essa mesma possibilidade de uso da sua energia, da sua vida, para a pessoa que você ama, que está ao seu lado, comprando as mesmas batalhas com você e por você?

Por que você fantasia que é tão difícil assim ser a sua melhor versão e ter uma vida digna, construída com base sólida através dos seus valores aplicados na prática do seu dia a dia e que impactem a vida do casal?

Por que acreditar que o errado pode ser considerado certo? Mesmo vendo que o errado nunca dá resultados realmente positivos para todas as pessoas envolvidas no processo. Pode sim, e confesso que normalmente se dá assim, gerar um prazer a curto prazo para o autor. Mas e depois? A conta vem. 

Quando trago um assunto como esse, nem de longe visualizo que haja a necessidade de ser o certinho, politicamente correto ou qualquer coisa do tipo. Mas não há necessidade de ser minimamente funcional e decente para consigo mesmo e aqueles que você ama? Nem que seja para ter uma vida com bom convívio com essas pessoas?

Agora, se uma parte dos grupos sociais que você conhece considera normal fazer algo que só tem prejudicado os relacionamentos e as famílias, você também precisa considerar normal? Por quê? Para ser aceito por esse grupo? Ter o que conversar e sentir bem por fazer parte de um senso coletivo?

Com todo respeito, acredito que você é melhor do que isso. Acredito em toda a sua capacidade de pensar, sentir e agir através de si próprio com o melhor que está em você. Sua capacidade para o bem é infinita, desde que tenha realmente um foco consciente nessa direção.

Mas afinal, é errado então curtir fotos de outras pessoas no instagram, facebook e redes sociais em geral?

Antes de concluir se é errado ou não, se pergunte: Para que você está fazendo isso? Realmente. Não uma pergunta leviana. Uma pergunta que te leve a uma profunda reflexão sobre o contexto.

Seu tempo é escasso. Você tem várias atribuições dentro do seu dia a dia. Tem seus sonhos, projetos e desejos. Está em um relacionamento sério. Será que realmente depositar seu tempo sobre valor sexual em estranhos ou conhecidos fora da sua relação te aproxima de tudo isso? Você não poderia dedicar esse mesmo tempo para com a própria pessoa que você diz amar, e aprofundar essa intimidade? Incluindo o lado carnal entre quatro paredes, já que um dos benefícios de ter um relacionamento sério é poder aprofundar cada vez mais nas questões de prazeres sexuais.

Sem contar a necessidade de ser transparente com a pessoa que você ama. Quando você se coloca em um relacionamento é preciso entender que o outro se torna também responsabilidade sua. Pare de fantasiar que cada um vai levar a vida do seu jeito, e seja o que Deus quiser, no tempo livre batem cabeça e vê o que acontece. Você nunca vai construir um relacionamento ou família saudável pensando assim. Por isso, a mesma liberdade que você tem para fazer qualquer coisa, te dá o direito de escolha de ficar solteiro(a). Certo?

É de extrema importante que um relacionamento tenha transparência para prosperar de forma leve e funcional ao decorrer dos anos, em médio e longo prazo. 

Fala-se muito sobre ter atitude. Quase todo mundo acha que tem atitude para dar e vender. Mas, não acho que precise ter muita atitude para curtir fotos ou bater palminhas na internet. Agora, ter atitude para sentar em frente a pessoa que você ama, assumir suas sombras, fraquezas e defeitos, sendo realmente transparente, e se dispondo a evoluir, mudar e transcender para criar de verdade uma vida juntos, não é para qualquer um. Isso é atitude de verdade.

Uma das armadilhas da atualidade tem sido a necessidade de abastecer o próprio Ego com prazeres imediatos. A internet por si só não é vilã de nada, mas com certeza é uma ferramenta que pode potencializar quase todas as coisas.

Usar as redes sociais para satisfazer o Ego com pessoas te desejando e desejando o que você tem é um caminho que dificilmente vai agregar alguma coisa para o seu relacionamento. 

Na hora do vamos ver, na vida, na dificuldade, nos momentos que você mais precisa, você sabe quem é quem. Sabe quem vai se dispor a realmente estar ao seu lado e se sacrificar por você. E acredite, dificilmente será aquela pessoa que bateu palminha pensando só na barriga trincada ou no bumbum na nuca.

Você é livre para viver à sua maneira. Satisfazer o seu ego como bem entender. Mas, se você usa dessa liberdade para destruir a vida de outro ser humano que está lhe dando todo seu amor e atenção, usando de mentiras e manipulações, você é só um(a) mau-caráter. 

Personalidade e caráter, diferente do que muitos pensam, não é algo imutável. Recentemente fiz um conteúdo falando sobre hábitos, vou deixar o link aqui para você ler caso ache interessante. Os próprios hábitos conseguem transformar nosso caráter e personalidade. E aí entra o ‘x’ da questão. Ninguém é o perfeitão, bonzão, nem nada disso. A vida é um processo de aprendizado e evolução.

Ter atitude, como citei há pouco, inclui você olhar para o espelho e enfrentar as suas sombras. A sujeira que há em você. Entender a origem disso. Talvez seja um comportamento que você desenvolveu para se defender das próprias mágoas, traumas e negligências que passou durante a vida até então. E está tudo bem.

Você pode avaliar tudo o que faz e deixa de fazer que não te aproxima do formato de vida e relacionamento que realmente deseja viver, e mudar. Lógico, que nenhuma mudança se dá do dia para a noite, mas você, eu, qualquer um, somos totalmente capazes de mudar. Só que, para mudar algo é preciso aceitar a realidade daquilo que você realmente é nesse momento e como realmente pensa. Tal como, o que realmente deseja criar. 

Focar com prioridade nisso. Ao invés de estar batendo palminhas, estar focado nos novos padrões, pensamentos, emoções e ações que você quer plantar para colher amanhã em novos formatos de se relacionar.

Nesse caminho, eu tenho uma série chamada ‘Os 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável. Essa série está disponível na Comunidade Furlaneto para membros. Assista e estude esses conteúdos com seriedade. Garanto que irão ajudá-lo. Dentro da Comunidade você tem o meu suporte pessoal e individual.

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0

Construindo Relacionamentos Saudáveis através do seu Desenvolvimento Pessoal. Inscreva-se na Comunidade Furlaneto.