25 - ELE CURTE FOTO DE OUTRAS MULHERES

Já passou desconforto por ele curtir foto de outras mulheres?

Fotos em redes sociais também viraram problema. Não é de hoje que tenho recebido atendimentos destruídos pela imprudência e o desrespeito através do uso do celular, especificamente em maior parte das redes sociais.

Queixas de pacientes sobre o comportamento do parceiro ao utilizar a rede social. A questão do curtir outras mulheres como se fosse a coisa mais normal do mundo, e a pessoa deve aceitar esse comportamento empurrado goela abaixo.

Se faz todo um teatro de privação de liberdade e invasão de privacidade quando você se incomoda com o criminoso.

Antes que gere alguma confusão, porque entendo como criaram uma película sensível da realidade quando pronunciamos as palavras “homem” ou “mulher”, o artigo é válido para qualquer um dos lados. Também têm os casos com iguais danos e condutas de mulheres desrespeitando seus namorados, noivos e maridos através do uso do celular. Ok?

Pessoas são pessoas e quando o assunto é direcionado para questões que envolvem respeito, senso lógico, ético e moral, o gênero se faz irrelevante.

Falo isso, pois produzo um grande volume de conteúdos gratuitos nas redes sociais (se você ainda não me segue vou deixar os link aqui – Instagram, Youtube e Facebook). Felizmente, muitas pessoas boas que estão buscando evoluir através do autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e expansão de consciência interagem, compartilham suas experiências e dão os seus feedbacks.

Em uma minoria dessas interações, quando o conteúdo é direcionado para os homens, sobre o que eles podem fazer para construir um relacionamento saudável, por exemplo, surgem comentários se baseando em:

“Mas e a mulher?”

“Mas a mulher aquilo também!”

O mesmo acontece em alguns conteúdos que são direcionados para as mulheres:

“Mas o cara não sei o que!”

“Se o homem não isso, eu blá blá blá!”

E se você não separar um tempo para se desenvolver através das suas próprias possibilidades, sempre justificando a sua não ação ou má ação pelo comportamento do outro, do sexo oposto, com todo o respeito, você está lascado.

É óbvio que um relacionamento é a dois, mas antes de serem dois, existem duas pessoas individuais. Qualquer processo de mudança tem que partir de você. É o único jeito que existe de criar resultados significativos na sua vida. Considere significativo construir e viver a vida que você realmente deseja, sem fantasias de contos de fadas, mas no aqui-e-agora, com as possibilidades reais.

Como adulto, você tem responsabilidade sobre si próprio, e mesmo que tenha vivido experiências difíceis e traumáticas, ou que a criação dos seus pais não tenha favorecido a te passar segurança e um modelo de vida funcional, você vai ter que se virar com isso.

Aqui entra a outra fala que não adianta nada, e já vou descartar por você: “Ah! Mas falar é fácil”. E quem disse o contrário? É óbvio que falar é mais fácil do que fazer, e ainda mais fazer os resultados acontecerem advindos desse feito. Porém, se você não se dispõe nem a pensar sobre assumir responsabilidade, a se sentir diferente e tentar fazer diferente, em que mundo você acha que a vida vai mudar para você? Lamento, não vai.

E realmente, lamento de verdade. Meus pêsames por tudo de negativo que aconteceu na sua vida e o meu respeito pela sua história, mas não te vejo como um(a) coitado(a).

Não porque você não teve experiências difíceis ou foi desfavorecido em algum ponto ou momento. Longe disso. Pode ter sido. Mas pelo simples fato de que entendo que você continua sendo um ser humano com capacidade de evoluir e se apropriar de uma versão melhor de si próprio.

O nome desse monte de rolo que acontece ao decorrer da sua existência, altos e baixos, desafios, alegrias e frustrações, não é Karma, nem o Universo conspirando contra você. O Universo te quer bem, acredite. Isso apenas se chama vida. 

Agora, essa vida pode ficar mais difícil para você se começar a romantizar coisas erradas. Não adianta fantasiar o ‘não julgar’, meu Deus, tem coisa que está errada. Quer que eu explique de outra forma? Quando você faz algo que ferra com quem está ao seu lado, vivendo para você e com você, é errado (ponto).

Um dos grandes motivos, talvez a razão central da romantização das coisas erradas, tal como curtir fotos de outras pessoas quando você está em um relacionamento sério, é para manter a Zona de Conforto.

Para quem faz, fica confortável dar um jeito de racionalizar que curtir fotos de outras pessoas (eroticamente falando) é normal, principalmente, porque ‘todo mundo faz’.

Para quem recebe a falta de respeito, também fica confortável tentar racionalizar para achar uma forma de não terminar com essa pessoa, e continuar ali ao lado, mendigando carinho e acolhimento porque não acredita que pode tocar a vida sozinha ou recomeçar do zero com outra pessoa. Às vezes, até acredita, mas a preguiça… como fica?

Se você não se permitir enfrentar e olhar para a sua própria sombra, ou seja, olhar para o espelho e pesquisar as porcarias que faz, bem como o lixo que se permite engolir do outro para manter relacionamentos tóxicos, dificilmente conseguirá viver um relacionamento realmente saudável, leve e próspero.

Entenda com clareza, que quando me refiro a ser errado curtir foto de outras pessoas, estou sendo muito objetivo no sentido desse curtir. É aquela curtida nada a ver, de bunda na nuca, abdômen trincado ou pessoa que você sente tesão, desejo ou fantasia erótica. Essa é a curtida que me refiro.

Lembrando também, que às vezes não tem o clique em si no ‘coraçãozinho’ ou no ‘joinha’, mas tem o passar sem o clicar com muito zoom e análise para que a pessoa que você diz super amar não fique sabendo sobre como tem gasto seu tempo e focado a sua consciência com a sua ‘privacidade’, que você bate no peito para exigir.

É óbvio que você precisa ter seus vínculos sociais fora do relacionamento. Esse é um dos pilares de um relacionamento saudável. Não jogar toda a responsabilidade da sua vida na figura que está construindo uma família ao seu lado, e continuar tendo sim seu próprio self, amigos, amigas, familiares, colegas de trabalho e etc.

Então, antes que pense em justificar que acha normal curtir fotos dos outros, realmente é normal curtir fotos desse grupo de pessoas que têm algum significado para você, ou de áreas profissionais, informações que te façam algum bem mesmo que você não os conheça. E esse bem, possa respingar com alegria e benevolência no seu relacionamento.

Me explica como, em qual possibilidade, ficar gastando tempo do seu dia em valor sexual de mercado de pessoas que você considera que tem desejo, vai te ajudar a evoluir dentro do seu relacionamento? Percebe como isso é tão sem sentido? Tão contraditório?

E isso vale para você que não faz esse tipo de atitude, mas se mantém permissiva para com o cara que faz isso bem ali ao seu lado. E você não faz nada. E não faz nada, não por concordar, mas porque sabe que aquilo vai gerar um conflito que você não quer comprar a briga. Não quer se desgastar. Sendo assim, vai assistir de camarote o desrespeito, a negligência, e uma possível traição ou traições futuras.

Por isso, mesmo que seja doloroso e difícil o momento da vida que você esteja passando, sempre é possível ter responsabilidade sobre os próprios atos.

Você não pode escolher pelo outro que ele não te faça mal, que não te desrespeite ‘batendo palminha’ escondido nas mensagens da vida. Mas você pode com toda certeza não se submeter a ficar em um relacionamento nesse formato. Ou você não tem livre escolha, tal como ele teve para ‘bater as palminhas’?

Então a escolha só é válida para satisfazer o próprio Ego? Para proteger a própria saúde e integridade, não vale? Que sentido tem isso? Não tem.

Por isso te falo: não é uma questão de ter que ser o certinho ou a certinha, longe disso. Pessoas, todos nós, estamos passando pelo nosso próprio processo de evolução. É óbvio que vamos errar, chatear quem amamos por sermos imperfeitos em muitos momentos, mas somos conscientes. Você é consciente. Quando você faz algo e vê o mal que isso gera, você tem noção do que está acontecendo e pode decidir melhorar isso.

Me refiro às pessoas que querem evoluir em seu próprio processo. Por isso sempre digo sobre o olhar no espelho, sem aspas, no literal, descrever suas próprias atitudes, os resultados dessas e considerar se aquilo é realmente o melhor que você pode fazer para si e para o seu relacionamento.

Quando você entra em um relacionamento, cuidar do outro se torna a sua responsabilidade. É preciso parar com essa conversa mole de que cada um vai viver na sua própria bolha, de maneira integralmente individual, e vão compartilhar momentinhos aleatórios, desde que sejam prazerosos e não invadam de forma alguma a privacidade individual um do outro.

Honestamente? Se um adolescente me descrever uma experiência de vida baseada nisso, eu entendo, com total clareza, pela falta de experiência, período de descoberta e construção da própria psique, e falta de independência social, financeira, emocional e etc.

Agora, se um adulto, uma cara ou uma mulher, com mais de vinte anos de idade, vem com conversa fiada de querer ter relacionamento leviano achando que vai viver um relacionamento íntimo, duradouro, bem estruturado e gerar uma vida próspera a dois em cima disso, parece piada. É Stand Up Comedy?

E aqui entra um ponto muito interessante. Tem muita gente, mas muita gente mesmo, que lá no fundo não quer um relacionamento. Só não quer ficar sozinha. Quer ter alguém para compartilhar sua carência, transar e conversar quando possível. Compra uma situação que não deseja, ou se submete a torturas emocionais para manter esmolas. 

Em um mundo onde o homem é bem visto com alto valor quando é ‘o espertão’, que tem uma mulher massa e consegue dar os pulos. E a mulher fica bem vista quando pega aquele cara com alto valor sexual de mercado, ou mantém (sem ninguém saber) um ‘belo cidadão’ no banco de reservas enquanto está em um relacionamento, curtir fotos de outras pessoas estando em uma relação acaba sendo visto com normalidade mesmo.

Mas para você, que está aqui lendo esse post, você não é essa pessoa. Eu sei disso, pois se fosse nunca estaria gastando o seu tempo e consciência lendo um conteúdo desse tipo, que quer gerar desenvolvimento pessoal e construção de relacionamento saudável.

Talvez, você possa sim ter cometido erros que magoaram e infringiram o respeito para com a pessoa que você ama, mas estando aqui, entendo que você não quer mais se apropriar desse modelo de vida. 

O que quero te trazer de verdade com esse conteúdo, não é um modelo de julgamento sobre o que é certo ou errado como uma receita de bolo para que você possa construir um relacionamento melhor. Quero que você reflita com a sua própria cabeça, e se provoque a pensar realmente, sem censura de forma profunda o que você realmente está fazendo que faz com que a sua relação seja melhor.

Como o uso das suas redes sociais e do seu celular agrega valor para o seu relacionamento e os outros contextos da sua vida individual que também vão interferir diretamente dentro da sua relação?

Você vai perceber, que mesmo não havendo receita de bolo, padrões negativos, que envolvem desrespeito, negligência, traição, falta de paciência, falta de cuidado, falta de cumplicidade, falta de interesse, falta de desejo sobre a pessoa que você ama não vão ajudar em nada.

‘Bater aquela palminha’ para a bunda na nuca da mulher que você considera ter tesão e ser respondido com um ‘obrigado’ pode satisfazer seu ego momentaneamente. Mas o que isso muda de verdade na sua vida? E no seu relacionamento? Como isso acrescenta para a pessoa que você ama?

‘Bater uma palminha’ para o abdômen trincado do deuso que você paga pau e ser respondida pode te satisfazer no momento. Visualizar que aquele cara que você considera ter alto valor sexual de mercado possivelmente te pegaria. Uau! Mas e o seu relacionamento?

Se for por esse caminho, claro que dá para aprofundar muito nessas interações e ter contato físico real com pessoas. Mas, nesse caminho não há construção de relacionamento saudável a dois. 

Você cria a realidade que a sua consciência foca. Direcione sua energia para a pessoa que você ama, inclusive sexualmente, que você verá milagres acontecerem na sua relação.

O próprio sexo é o 2º Pilar para Construir um Relacionamento Saudável. Eu disponibilizei o curso dos 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável (método que eu criei) na Comunidade Furlaneto. Basta assinar e você tem acesso imediato. Lá você tem o meu suporte pessoal e individual ao decorrer das aulas.

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0

Inscreva-se na Comunidade Furlaneto para receber conteúdos, aulas e suporte sobre Relacionamentos e Desenvolvimento Pessoal.