Confiança no Relacionamento

A confiança é o sexto pilar para construir um relacionamento saudável.

É um combustível necessário, não só no campo dos relacionamentos íntimos, como para com todas as relações sociais que envolvam crescimento e prosperidade.

Vamos conceituar brevemente de forma bastante objetiva o que realmente é confiança na prática das nossas vidas. Você pode entender confiança como crédito. Você dá crédito a alguém, pois sabe que essa pessoa não vai falhar. Não vai descumprir o que foi acordado. O ponto central para descrever confiança é o ato de sentir segurança no outro. Lembrando aqui, que estou te direcionando a visualizar a confiança no contexto das relações, por isso a referência ao outro.

A confiança também envolve um conceito positivo, baseado em respeito em relação ao outro, ou seja, contatos respeitosos favorecendo a construção da confiança entre as partes. 

Na psicologia, a confiança é entendida como um estado psicológico que se caracteriza pela intenção de aceitar a vulnerabilidade, com base em crenças otimistas a respeito das intenções (ou do comportamento) do outro.

Agora que já tem claro para você o conceito de confiança, te trago um ponto interessante. Decorri as descrições falando da sua relação em perceber o outro com confiança, mas e você mesmo? Quando você perde a confiança em si próprio, dificilmente conseguirá visualizar de forma confiável os contatos em suas relações. Não se espalha algo que não se vive ou sente. Não é assim que funciona.

Como afirma Fritz Perls (1977, p. 16), fundador da Gestalt-terapia, “quanto menos confiança tivermos em nós mesmos, quanto menos contato tivermos com nós mesmos e com o mundo, maior será o nosso desejo de controle”. A necessidade do ego em controlar vai na contramão da confiança.

E por isso já te deixo um alerta. Não pense que a confiança é algo simplório de ser construído com um estalar de dedos. Como já dizia Jung, a capacidade do ser humano se sentir confiante é elaborada desde o nascimento. Seu inconsciente está conectado com o inconsciente da mãe e a partir desta a criança busca no alimento o amor, a proteção e principalmente a confiança.

Confiar em alguém que pode cuidar dela. É de extrema importância destacar essa questão histórica do seu desenvolvimento, pois muito tempo se perde tentando achar soluções para problemas de falta de confiança em meia dúzia de informações isoladas do seus eventos presentes. Pelo seu próprio bem, não leve por esse caminho. A sua vida é o conglomerado da somatória dos eventos passados, o que está sendo vivido no presente, bem como tudo aquilo que é expectado e projetado como desejo ou necessidade futura. Negar essa visão mais realista e sistêmica da vida é pedir para se perder em problemas insolúveis e relacionamentos frágeis.

Agora, tente visualizar como você irá construir um relacionamento saudável sem confiança? Não é possível. Não está sendo dito que você precisa confiar cegamente no outro, dar oportunidades de olhos vendados ou algo do tipo, longe disso. Estou te convidando aqui a aceitar a realidade de que a confiança entre as partes precisa ser construída, e em determinados momentos, sofrer ajustes em formato de manutenção para continuar sendo uma base sólida do seu relacionamento, um pilar.

Vamos fazer uma analogia simples para ficar mais fácil de você perceber o efeito da confiança dentro do seu relacionamento.

Imagine que você está com um problema de saúde. Começou a sentir desconforto e foi ao médico. O médico por sua vez te avaliou e pediu alguns exames. Você realizou os exames e retornou ao médico para que fizesse a leitura técnica dos resultados, concluísse a avaliação e te desse um parecer. E lá vem a notícia desagradável. Você está com um cisto na tireoide. O médico diz que você precisa fazer uma cirurgia para retirar esse caroço e em seguida explica os detalhes do procedimento que será realizado. 

Só que tem um detalhe! Você não confia neste médico. Uma parte sua, não por medo de estar doente, mas já existindo antes do diagnóstico, coloca em cheque a habilidade técnica e o julgamento desse profissional. 

Você realmente vai deitar em uma maca, se permitir ser anestesiado e que ele te passe a faca? Pois é. É bem provável que não, e isso é natural. É natural que você não se permita fazer algo com alguém que você não confia. 

A diferença dessa situação para um relacionamento íntimo, é que às vezes, conhecendo a outra pessoa, você quer tanto que o relacionamento evolua e de certo que se permite criar grandes expectativas sobre essa pessoa agir de forma positiva na confiança que você escolheu depositar cegamente nela. Nesse ponto se cria uma infinidade de problemas.

Não quero que você entenda que precisa ser uma pessoa desconfiada, também não vale a pena. Seria uma tortura viver assim. Mas digo que, como um adulto, você precisa ser uma pessoa coerente, responsável e realista. Trabalhar com os fenômenos. Permitir que os outros se apresentem a você tal como eles realmente são e ir se relacionando conforme as possibilidades manifestadas em vivências reais nesses contatos.

Agora volta comigo para o campo dos relacionamentos. Imagine em uma relação profunda como um casamento ou união que envolva a vida dos dois. Todos os contextos estarão expostos e envolvidos. Sua vida financeira, profissional, física, emocional, familiar, social, espiritual e etc. Tudo sendo compartilhado de um jeito ou de outro, com ou menos profundidade dependendo das características de cada um e como escolhem viver essa relação, mas compartilhado.

Então, novamente te pergunto: Como você acredita que é possível compartilhar o que há de mais importante, a sua vida, sem criar confiança no relacionamento? A resposta é simples. Não se faz possível. Não dá. É através do laço de confiança que você consegue realmente se entregar a viver de maneira mais autêntica e profunda o relacionamento.

Entendendo que é um laço a ser construído, eu trouxe 7 dicas para você trabalhar na construção da confiança no seu relacionamento:

1ª) SEJA COERENTE: não fale coisas ou faça promessas que pouco tem a ver com o que você realmente pensa ou realmente é. Convide também o seu parceiro(a) a terem essa postura coerente no sentido de serem primeiramente muito sinceros consigo mesmos no que estão dispostos a compartilhar e fazer na relação.

2ª) HONRE A SUA PALAVRA: entendendo que você já aplicou a primeira dica, se esforce para realmente concretizar o que acordou. Não cumprir promessas desconstrói ou dificulta a possibilidade de estabelecer um forte laço de confiança.

3ª) RESPEITE A PRIVACIDADE DO OUTRO: quando você está em um relacionamento é comum acabar compartilhando pensamentos e vivências extremamente íntimos. O que foi dito para você, foi dito apenas para você. Eu sei que tem muita gente que você gosta, amigos, familiares e etc. Porém, saber de algo não te dá o direito de usar isso como assunto só para ter prazer dialético com outras pessoas. Saiba guardar os segredos para preservar a integridade de quem você ama, bem como a sua própria. Isso fortalecerá o laço de confiança entre vocês.

4ª) SEJA AUTÊNTICO: a receita mais simples que existe para evitar complicações que dificultam a construção de laços de confiança em um relacionamento é a autenticidade. Se você realmente se permitir ser você mesmo, não precisará ficar pisando em ovos, e claro, errando com frequência por conta disso. Preciso reforçar aqui que ser autêntico não tem nada a ver com ser do jeito que você acha certo e dane-se o outro. Significa pensar com a sua própria cabeça, senso ético e moral, e através do contato com o outro, fazer ajustes diante das suas características e crenças verdadeiras. Relação é a dois. O outro não é obrigado a engolir nada seu.

5ª) SEJA HUMILDE: pense em humildade no sentido de assumir responsabilidade sobre as suas próprias ações. Em um relacionamento, por mais que você e seu parceiro(a) possam ser parecidos em vários aspectos, ainda são pessoas distintas. Na prática do convívio no dia a dia isso significa que irão ter alguns atritos por pensarem e sentirem de forma diferente diante a alguns eventos. Se fizer algo que chateou a pessoa ou não foi bem compreendido, seja humilde para se posicionar, reparar os danos e criar os ajustes necessários para que o convívio melhore e o laço de confiança seja fortalecido.

6ª) HONESTIDADE: a honestidade é um grande combustível para se manter a confiança. Seja sincero consigo mesmo e se apresente dessa forma com a pessoa que você ama. Dê a oportunidade dela realmente ter contato com o seu ‘eu’ mais autêntico, para que ela também possa criar os ajustes que facilitem o convívio de vocês. Não esqueça de se manter alerta para não entrar na zona de conforto nesse sentido. Não é porque alguém realmente se esforça para te entender, aceitar e ajudar, que você não precisa continuar evoluindo. Pelo contrário. Toda essa estrutura de acolhimento criada por um laço de confiança em um relacionamento te proporciona possibilidades mais ricas de continuar se desenvolvendo em todos os contextos da sua vida.

7º) PERDOE:  existem erros e erros. Você precisará aprender a perdoar todos. Alguns são fáceis de superar e seguir em frente, juntos. Outros, dependendo da gravidade, podem gerar profundas marcas e o afastamento do casal. Quando você perdoa, cria possibilidades de seguir em frente. É preciso continuar após os erros. Ficar fixado no ponto da dor irá gerar mais problemas e estagnar a vida de ambos.

Para concluir esse conteúdo, quero te trazer uma reflexão:

“Mantenha suas promessas e seja consistente. Seja o tipo de pessoa em quem os outros possam confiar.”Roy T. Bennett. Autor do livro The Light in the Heart: Inspirational Thoughts for Living Your Best. 

Espero que esse artigo ilumine sua consciência, te ajudando a compreender, aceitar e aplicar ações confiantes, buscando criar laços de confiança entre você e a pessoa que você se relaciona ou busca construir uma relação. A confiança é uma das bases fundamentais para a construção de um relacionamento saudável.

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0

A Jornada completa dos 9 Pilares para Construir um Relacionamento Saudável está disponível em meu curso online (aulas em vídeos). Tem uma aula específica falando apenas do 6º PILAR – CONFIANÇA.