COMO A ANSIEDADE PODE ACABAR COM O SEU RELACIONAMENTO

Você já prestou atenção que a pessoa ansiosa sempre tende a pensar negativo?

Esse é um dos grandes problemas que pode arruinar relacionamentos, ou pelo menos desequilibrar por completo a qualidade de vida do casal.

A questão dos pensamentos negativos para o ansioso acontece pois ele tende a distorcer a realidade.

Por quê?

O ansioso distorce a realidade devido ao pensamento acelerado.

Se você já passou por isso ou se conhece alguém que passa, percebe que a pessoa ansiosa a nível patológico está sempre pensando desorganizadamente. Pensando de forma acelerada sobre possibilidades do que pode vir a ser (mesmo que fantasiado).

O pensamento acelerado nesse cenário está direcionado para o futuro, para questões que ainda não são reais. Na verdade, a maior parte dessas questões nem virão a acontecer, e ainda uma parte dessas, são possibilidades totalmente fora da realidade.

Mas, diferente do que muito se fala, a ansiedade não se restringe apenas aos pensamentos sobre o futuro, afetando também o passado.

Eventos passados que foram mal resolvidos ou geraram um padrão de crença que estrutura os comportamentos presentes do indivíduo de forma disfuncional, são foco dos pensamentos ansiosos acelerados e desorganizados.

Todo esse movimento desconecta a pessoa do momento presente, do aqui e agora, onde existem as reais possibilidades de se criar ajustes criativos para viver uma realidade melhor.

Sempre que o indivíduo ansioso entra em uma situação de conflito, tende a criar a distorção de foco para o passado ou futuro, se apegando aos padrões negativos para justificar o presente, ou fantasiando possibilidades, sendo insatisfatório no momento atual.

E isso é curioso, pois pensando no funcionamento cerebral a nível neurobiológico e neuroquímico, só é possível ter um único pensamento por vez.

Por mais que pareça que você pensa muita coisa ao mesmo tempo isso não funciona assim na prática biológica. Dá-se essa impressão pelos pensamentos serem extremamente rápidos, mas nunca simultâneos.

O ansioso com pensamento acelerando inevitavelmente começará a ter resultados ruins. Aos poucos ele vai aprender que não dá conta de criar resultados positivos, e pronto, está feito o problema.

Imagine só, fixar na cabeça de um ser humano, que ele não dá conta de ter resultados positivos. Todas as vezes ele se desgasta muito, pensa muito, tenta muito, e o resultado é sempre negativo. Está implantada uma nova crença. Agora existe um padrão que está pronto, aguardando o próximo evento para dispor esse modelo.

O que eu sugiro diante a essa situação?

Comece pelo básico.

“Se arruma o teto da casa quando não está chovendo.”

Usando como analogia para a nossa questão da ansiedade: se trabalha a ansiedade quando não está em crise, ou seja, quando não está no pico da desorganização, angústia e somatizações advindas dos pensamentos acelerados e resultados negativos.

Você pode começar, por exemplo, treinando a prática da respiração. Respirar de forma adequada, tranquila, realmente enchendo os pulmões e soltando todo o ar, sem pressa, em um ritmo contínuo.

Os fatores nutricionais também impactam na questão da ansiedade. Uma nutrição adequada é fundamental. Recomendo que busque a orientação de um nutricionista, principalmente se você for leigo sobre as melhores possibilidades para o seu quadro clínico.

A atividade física não pode ser descartada. O sedentarismo é um crime para aquele que se encontra em um quadro ansioso, pois aguça o problema. O exercício físico melhora a própria produção neuroquímica, que vai ajudar com a sensação de bem-estar, o que leva ao próximo ponto.

Dormir bem. Conseguir ter um ciclo circadiano satisfatório é uma das bases para a boa saúde. O corpo organiza a maior parte das funções vitais do funcionamento biológico e seus sistemas, incluindo o sistema nervoso central e autônomo enquanto você dorme. Tudo isso de brinde, sozinho, automático. É só dormir de verdade. Você não precisa fazer mais nada nessa parte.

Por isso é necessário ter um sono de qualidade, conseguindo passar por todos os estágios, onde esse processo de homeostase realmente acontece.

O sono é um processo natural no qual há redução da consciência e das atividades corporais. É dividido em duas fases: o sono não-REM e o sono REM, que apresentam características e estágios diferentes.

O sono não-REM é caracterizado por atividade cerebral menos intensa. É dividido em 4 estágios:

Estágio 1: é a etapa do adormecimento. Pode durar até 15 minutos e é uma transição entre estar acordado e dormindo. Há relaxamento dos músculos e a respiração fica mais leve.

Estágio 2: O segundo estágio é o de um sono mais leve. Há uma desconexão do cérebro com estímulos externos (barulho, toque). A temperatura e o ritmo cardíaco e respiratório diminuem e a pessoa se aproxima do sono profundo.

Estágio 3: o corpo já começa a entrar em um sono profundo, onde a atividade cerebral começa a diminuir.

Estágio 4: É o estágio do sono profundo, no qual corpo repõe as energias do desgaste diário. O organismo libera os hormônios ligados ao crescimento e executa o processo de recuperação de células e órgãos.

Após o quarto estágio o corpo caminha para o sono REM. A atividade cerebral começa a acelerar e se torna tão intensa que se assemelha à quando estamos acordados.

É nessa fase que acontece os sonhos, a fixação da memória e o descanso profundo, essencial para a recuperação da energia física para acordar disposto. As fases do sono irão se alternar ao longo da noite.

Percebe como é um ciclo perfeito quando bem executado?

Todas as variáveis vividas no dia a dia vão interferir na possibilidade de dormir melhor.

Eu tenho dois conteúdos, completos e profundos, que vão te ajudar a sair desse quadro de prejuízo advindo da ansiedade, ou até mesmo, caso você não esteja assim, ajudar alguém que você ama.

O primeiro conteúdo é a aula 24 – Por que a pessoa ansiosa sempre pensa negativo?

O segundo conteúdo é o ebook – 4 Estratégias para Eliminar a Ansiedade

Esses conteúdos estão disponíveis na Comunidade Furlaneto. Clique no link abaixo para saber mais e realizar a sua assinatura.

Cadastre-se para receber meus conteúdos por Email

* Obrigatório

Artigos relacionados:

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0