29 - 3 Passos para Superar um Término de Relacionamento

Enfrentar a rejeição de um relacionamento e lidar com o término é algo difícil para você?

Pois é. Quando você realmente se envolve amorosamente com profundidade e algum tempo de contato, o rompimento dessa relação não se dá de forma simples na maioria dos casos.

É provável que você não saiba disso, mas toda a angústia gerada pelo sofrimento do término não é apenas porque você amava a pessoa. Não é algo meramente emocional.

Eu estudei um experimento realizado pela Dra. Helen Fischer. Ela é uma professora de antropologia e pesquisadora do comportamento humano na Rutgers University e estudou a atração romântica interpessoal por mais de 30 anos. Tem vários livros publicados no Brasil como “Por que amamos?”, “Por que ele? Por que ela?”, “Anatomia do amor”. 

Neste estudo foi relatado que o amor romântico está ligado ao Sistema de Recompensas do cérebro. Na prática isso significa que esse contato profundo amoroso de um relacionamento afeta a mesma região que é ativada através dos vícios. Por isso não é tão simples lidar com o luto de um término de um relacionamento significativo.

Todo esse desconforto vai além de questões que envolvem pensamento e emoções, abrangendo a própria parte biológica do seu cérebro.

Segundo Helen Fisher, é preciso tratar o fim da relação com um programa de desintoxicação e lembrar que o tempo realmente cura todas as feridas. O programa funciona em três passos:

1ª) PARE DE FALAR, VER FOTOS OU TROCAR MENSAGENS:

Sem esse contato com a pessoa amada, torna-se mais simples desativar a área do cérebro associada ao apego, ficando mais fácil lidar com o processo de desligamento. É sugerido que você jogue fora ou esconda (tire de vista) presentes, cartas, roupas e outros objetivos que estimulem a lembrança.

2ª) FOQUE NO QUE DEU ERRADO:

Calma! Não é o que está pensando. Não é para ficar lembrando e focando no que deu errado para amargurar e sentir raiva da pessoa, pelo contrário, é para incentivar o cérebro a registrar as experiências ruins para aprender a superá-las. Entender que não são funcionais no formato de relação entre você e seu parceiro ou sua parceira.

3ª) RESISTA A TENTAÇÃO DE ENTRAR EM CONTATO COM O EX:

Aqui o bicho pega, e eu sei que é difícil. Porém, é a última e a etapa fundamental para fechar o ciclo do programa. Muitas pessoas quando estão indo bem nesse processo acabam voltando o contato enquanto ainda não estão preparadas para lidar com a situação e retrocedem, voltando a sentir os mesmos sentimentos negativos do início. O contato irá reativar as mesmas regiões cerebrais, ou seja, cuidado!

Já conheci pessoas,  tanto na vida pessoal como no meu trabalho clínico como psicólogo, que ficaram presos anos nessa angústia do sofrimento, tendo todos os campos da vida prejudicados por não se permitirem fazer o que é preciso para que o tempo trabalhasse a seu favor. 

Acredito plenamente que os três passos da Dra. Helen Fischer vão te ajudar a passar pelo seu processo de luto.

Sempre que você perde algo realmente significativo na sua vida, tal como um relacionamento amoroso, o seu corpo entra em estado de luto.

Saber lidar com mudanças e finais de ciclos é sempre muito complexo. Muitas pessoas associam o luto à morte, porém o sentimento de dor da perda pode se manifestar de diversas maneiras.

O luto acontece também em términos de relacionamentos, quando você sai de um local de trabalho, quando muda de casa ou até de cidade.

Apesar de cada situação ser vivenciada de maneira e intensidade diferentes, é importante entender quais são as fases do luto, para conseguir superar. 

O que é o luto?

O luto é um processo psicológico de adaptação a alguma experiência de perda. Trata-se de um período de recolhimento e introspecção, para assimilar o sentimento de saudade e aceitar a nova realidade. 

Cada indivíduo reage de uma forma, a depender de sua estrutura emocional e vivências. Porém, superar o luto e não repreender o sentimento de perda é essencial para todos os indivíduos. Caso contrário, isso pode se manifestar posteriormente como algum outro sintoma, como sentimento de culpa ou até crises de ansiedade.

A duração do luto difere de pessoa para pessoa, mas, segundo a psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross analisou em seu livro “Sobre a Morte e o Morrer”, de 1969, são 5 os estágios do luto. São eles: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação.

1ª Fase: NEGAÇÃO

É o primeiro processo para te proteger do choque da nova realidade. Normalmente nesse primeiro momento você tenderá a se isolar e ter pensamentos do tipo:

“Tudo vai voltar a ser como era.”

“Eu estou bem.”

“A pessoa vai voltar para mim.”

2ª Fase: RAIVA

Quando você sai do estágio de negação intensa se depara com a frustração do término. É comum procurar culpados ou culpar a si mesmo pelo que aconteceu. É comum ter pensamentos do tipo: 

“Não é justo!”

“Não aceito que isso esteja acontecendo comigo.”

“Por que eu aceitei que ele fizesse isso comigo?”

3º Fase: NEGOCIAÇÃO

Nesse período você vai tentar negociar qualquer forma de adiar o inevitável, ter que aceitar o término. Vai racionalizar qualquer possibilidade (real ou fantasiada) para tentar voltar à situação que estava anteriormente, antes de terminar. 

Falas comuns de observar durante a fase de negociação:

“Eu faria qualquer coisa para voltar a relação.”

“Agora vai ser diferente!”

“Eu juro que eu mudei. Não sou mais a mesma pessoa. Vamos voltar.”

4ª Fase: DEPRESSÃO

Aqui você começa a lidar realmente com a realidade. Mesmo ainda não querendo aceitar, a ficha caiu que tudo mudou. Nada vai voltar a ser como era antes.

Na fase depressiva é comum falas como:

“Eu estou tão triste com isso.”

“Minha vida não é a mais a mesma.”

“Tudo perdeu o sentido.”

5ª Fase: ACEITAÇÃO

Por fim, a última etapa do luto é a aceitação. Quando se chega a esse estágio, você lida com seus sentimentos de forma serena. É o momento em que consegue expressar de forma mais clara sentimentos, emoções, frustrações e dificuldades que te circundam. Perceba que não significa que tudo se tornou mil maravilhas sem nenhum tipo de desconforto, mas sim um ajuste à realidade, com boa qualidade de vida. 

Nesse período são comuns as falas:

“Era para ser assim.”

“Estou fazendo tal coisa para melhorar.”

“Aprendi muito e consigo lidar com a realidade agora.”

É importante entender que não existe uma sequência dos estágios de luto, mas é comum que as pessoas que passam por esse processo apresentem pelo menos dois desses estágios.

Também há pessoas que ficam presas anos nesse processo. Não conseguem concluir. Normalmente ficam presas em alguma fase específica.

Aceite e busque ajuda para passar por momentos difíceis como esse.

Eu criei um CURSO 100% Online (Aulas em vídeo) para te ajudar a superar o término do relacionamento, passando pelas fases do luto: clique aqui para saber mais sobre. 

Vou te explicar a importância de cada etapa, deixando claro porque é difícil passar por algumas fases após o término de uma relação, e principalmente, te ajudando a compreender em qual fase você está, com possibilidades criativas para melhorar a situação no aqui-e-agora.

01 - O que um psicólogo faz?

Julio Furlaneto

Psicólogo
CRP 14/05550-0